CANÇÃO

 
Tinha um cravo no meu balcão;
veio um rapaz e pediu-mo
- mãe, dou-lho ou não?

Sentada, bordava um lenço de mão;
veio um rapaz e pediu-mo
- mãe, dou-lho ou não?

Dei o cravo e dei o lenço,
só não dei o coração;
mas se o rapaz mo pedir
- mãe, dou-lho ou não?
 
              Eugénio de Andrade

Comentários

  1. Muito lindo este poema, o coração quando tem que ir e acha seu caminho nem adianta perguntar, ele tem asas próprias e se entrega, mesmo que não queiramos, bj

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Agradecemos, desde já, o seu comentário.

Mensagens populares deste blogue

CANTIGA DOS AIS

CANÇÃO DA MOÇA-FANTASMA DE BELO HORIZONTE

Aconteceu-me