ATÉ SEMPRE

Perdeste a lágrima, menino? Quem afligiu a tua bola? Pega lá a vida, faz o pino! Sempre o contrário nos consola.

A vida é bela, rasga a vida! Que em mim já antes papel é. Vê como a levo de vencida desde que nele escrevo até… sempre!

Menino… até sempre! No bibe, o corpo. Deixa, lava-se! E não te esqueças: chuta sempre!

Não chegou a chorar. Mas preparava-se.


                                                                                                
Vitorino Nemésio

Comentários

Mensagens populares deste blogue

CANTIGA DOS AIS

CANÇÃO DA MOÇA-FANTASMA DE BELO HORIZONTE

Aconteceu-me