POEMA DA NECESSIDADE

É preciso casar João,
é preciso suportar Antônio,
é preciso odiar Melquíades,
é preciso substituir nós todos.

É preciso salvar o país,
é preciso crer em Deus,
é preciso pagar as dívidas,
é preciso comprar um rádio,
é preciso esquecer fulana.

É preciso estudar volapuque,
é preciso estar sempre bêbedo,
é preciso ler Baudelaire,
é preciso colher as flores
de que rezam velhos autores.

É preciso viver com os homens,
é preciso não assassiná-los,
é preciso ter mãos pálidas
e anunciar o fim do mundo.
 
                       Carlos Drummond de Andrade

POEMA DA NECESSIDADE, de Carlos Drummond de Andrade, dito por Tom Jobim

Comentários

Mensagens populares deste blogue

CANTIGA DOS AIS

POEMARMA

CANÇÃO DA MOÇA-FANTASMA DE BELO HORIZONTE